Famosos Angolanos aderem em massa a campanha " Black out Tuesday" contra o racismo

Após a morte de George Floyd um afro-americano de 46 anos, no passado dia (25) de Maio, em Minneapolis, após uma intervenção policial violenta. Um agente policial pressionava o seu pescoço com o joelho por 8 minutos, quando  o mesmo se encontrava algemado, pessoas de vários pontos dos EUA e do mundo, entre eles famosos e não só, sairam as ruas para protestar contra o acto considerado ‘bárbaro e racista’. Por meio desta, muitos angolanos entre eles várias figuras públicas aderiram em massa o movimento “Black out Tuesday”, que propõe postar quadrados negros para simbolizar um dia sem consumo em grandes plataformas.

Famosos Angolanos aderem em massa a campanha " Black out Tuesday" contra o racismo

De certeza, o ano de 2020 vai ficar na história da humanidade não só por conta da Covid-19, também pela morte de George Floyd, afro-americano que morreu por asfixia, quando este foi detido por suspeita de ter tentado pagar com uma nota falsa de 20 dólares num supermercado. O crime aconteceu em Mineapólis, e as imagens que mostram o agente da policia Derek Chauvin ajoelhado no pescoço de Floyd, asfixiando-o durante vários minutos, rodaram o mundo e desencadearam uma série de revoltas contra a violência policial nas comunidades negras e a desigualdade racial.

Famosos Angolanos aderem em massa a campanha " Black out Tuesday" contra o racismo

No mesmo vídeo, ainda vê-se o homem de 46 anos a dizer ao polícia que não conseguia respirar e chamava pela sua mãe nos últimos suspiros. E desde então, várias cidades norte-americanas, Minneapolis, Washington e Nova Iorque, têm sido palco de manifestações, com os protestos a resultarem frequentemente em confrontos com a polícia, tendo ocorrido pelo menos três mortes.

Figuras públicas angolanas como Yola Semedo, Big Nelo, Matias Damásio, Anselmo Ralph, C4 Pedro, Fredy Costa, Nadir Tati, Karina Barbosa, Carlos Morais, Lesliana Pereira, Coréon Du, Titica, Maria Borges, as Influencers Jandira Henrique Lisboa Santos, Marcia Carvalho e Juvenalia, Juddy da Conceição, Sharam Diniz, entre vários anônimos angolanos, não ficaram indiferentes a causa e uniram-se para apelarem a sociedade a juntarem-se a mesma em forma de lutarem contra o racismo que ainda assola o mundo.

Deixa o seu Comentário

Deixa o seu Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem